> Trabalhadores da Braskem/AL protestam contra falta de segurança e ter | Sindipolo

Trabalhadores da Braskem/AL protestam contra falta de segurança e ter

PUBLICADO:

Os trabalhadores da Braskem, em Alagoas, realizaram, na manhã do dia 26/05, uma manifestação contra as condições inseguras na empresa e a maciça terceirização das atividades.

O protesto, organizado pelo Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos dos Estados de Alagoas e Sergipe fechou o portão de acesso à fábrica. Os trabalhadores desceram dos ônibus, ficaram do lado de fora e participaram da manifestação durante toda a manhã.

Além de denunciar as condições inseguras e as terceirizações, a  categoria reivindica um plano de manutenção preventiva e acesso às instalações da nova unidade em Marechal Deodoro, para fiscalizar se as medidas de seguranças estão sendo adotadas.

Segundo o sindicato, na década de 80, 20% dos trabalhadores eram terceirizados. Hoje, são mais de 80%, principalmente em setores de manutenção.

 

Solidariedade

O protesto foi realizado no Pontal da Barra (em Maceió) também em solidariedade aos moradores e trabalhadores feridos durante os acidentes com vazamento na planta de cloro-soda da Braskem ocorridas nos dias 21 e 23 de maio. Dos cinco trabalhadores feridos no acidente do dia 23, dois seguem na UTI.

 

Denúncia no MPT

Após o ato, o Sindicato formalizou, na Ministério Público do Trabalho, denúncias sobre as questões que motivaram o protesto.

Situação se repete

A insegurança, precarização e terceirização se repete em todas as unidades da Braskem. Neste sentido, a defesa de condições mais seguras de trabalho e contra as terceirizações, é uma luta de todos os trabalhadores da Braskem. No RS, em 2010, foi feito um seminário para tratar do tema em todas as unidades da Braskem no país. Os relatos confirmaram a necessidade de ações imediatas em relação a esta questão, bem como a intervenção de órgãos fiscalizadores.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD