> SETEMBRO AMARELO | Sindipolo

SETEMBRO AMARELO

PUBLICADO:

O “Setembro Amarelo” é uma iniciativa brasileira iniciada em 2015 e incentivada mundialmente pela Associação Internacional para Prevenção do Suicídio (IASP), que visa a conscientização sobre a realidade do suicídio e as formas de prevenção.

Os números oficiais são de que 32 brasileiros cometem suicídio a cada dia. Um número superior ao de vítimas da Aids e da maioria dos tipos de câncer. Segundo a Organização Mundial da Saúde, nove em cada 10 casos poderiam ser prevenidos.

Os dados apontam que quase 100% das pessoas que se suicidaram enfrentavam algum problema mental – a maioria depressão, um mal que atinge a todas as categorias de trabalhadores.

Categoria é afetada

O número de casos de depressão vem aumentando, vários deles provocados pelo constante assédio moral praticado no ambiente de trabalho, o que tem levado trabalhadores a transtornos mentais, crescendo o número de suicídios em várias categorias. Consideramos extremamente importante a divulgação do “Setembro Amarelo”, que se somam as demais campanhas em defesa da saúde dos trabalhadores.

Segundo levantamento da subseção do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base em informações do INSS, o transtorno mental é a principal causa dos afastamentos do trabalho para tratamento de saúde.

Metas abusivas, cobranças constantes por resultados, assédio moral, o isolamento na realização de tarefas, a competitividade entre os trabalhadores imposta pelas gestões, são alguns dos agentes motivadores para as doenças mentais nos locais de trabalho.

Em tempos de crise econômica, instabilidade social, alto índice de desemprego, os ânimos ficam mais exaltados, acompanhados da insegurança e temor de ficar sem trabalho. “Quem trabalha, portanto, trabalha sempre sob a angústia da possibilidade de perder seu emprego – seu sustento, seu valor social, ferir parte de sua identidade. Quem não tem emprego tem ainda mais medo: de não aparecer outro bico, outro freelance, de não ter o pagamento garantido”, diz a psicóloga Carolina Grando (Revista Você S/A).

PROCURE AJUDA!

Procure o Setor Médico da empresa para obter ajuda ou o Sindicato.

Também é possível obter ajuda no CEREST – Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Rua Capitão Montanha, 27, 4º andar – Centro – PoA) ou ainda pelo fone 188.

Neste mês estaremos trazendo no Em Dia várias informações sobre os motivos, números, ocorrências sobre a Doença Mental e os riscos do suicídio por motivo do trabalho.setembro-amarelo-535x417

111111111111