> SEGUE IMPASSE SOBRE PRÊMIO DA PARADA | Sindipolo

SEGUE IMPASSE SOBRE PRÊMIO DA PARADA

PUBLICADO:

Com muita antecedência das paradas, foi entregue à Braskem uma pro-posta de Acordo de Parada para TODOS os trabalhadores da Braskem (Unib e Polímeros). Nesta foram tratadas as condições especiais e extraordinárias enfrentadas em uma parada de manutenção numa  unidade petroquímica.

No Acordo, como já tratamos em Boletins anteriores, reivindicamos:  um prê-mio de parada de 180 horas; hora-extra a 120% para todos envol-vidos na parada; recebimento de todas as horas que permanecerem na fábrica para os tur-neiros; tempo de deslo-camento de, no máximo, uma hora; emissão imediata da CAT e envio ao Sindipolo, entre outros pontos.

 

PLR/2011  inferior  a  2010

Durante este tempo conseguimos apenas uma reunião formal com a Braskem. Nesta, a empresa manifestou que não aceitava pagar o PRÊMIO e nem os demais itens aos seus trabalhadores. Alegou que estes já tinham o devido prêmio em suas PLR’s.

Este argumento foi desmontado no ato, quando expomos  que a meta de realizar as Paradas estavam sim na maioria dos PA (Programa de Ação) dos trabalhadores, porém, o valor da PLR está menor do que o valor de 2010. Como pode ser assim, quando em 2010 não tivemos paradas de manutenções programadas com estas de 2011?

A empresa não tendo como contra argumentar, radicalizou dizendo que tais trabalhos são inerentes das nossas funções e estão inseridos na nossa remuneração. Após isto, enviou ao Sindipolo uma minuta de Acordo que só tinha vantagens para ela e nada aos trabalhadores. Desta data em diante estamos cobrando novas reuniões, mas a Braskem se nega a reunir.

Hoje estão em anda-mento as paradas na UNIB, PE4, e não está previsto prêmio de parada para nenhum trabalhador direto. Este prêmio deve  ser pago aos participantes das paradas da PP2/PE5 e PP1, que ocorrerão na seqüência.

 

Indiretos têm prêmio de 180h

A Braskem está repassando um valor de 180 horas por empregado a cada empresa prestadora de serviço nas Paradas de manutenção de suas unidades no Pólo Petroquímico.

Estas devem re-passar aos seus trabalhadores, desde que atinjam algumas metas. Os petroleiros, uma categoria nacional igual a nossa, tem em seu acordo tratamentos diferenciados para paradas de manutenção programadas e emergenciais.

 

Fortes manifestações

Temos que fazer a Braskem garantir o Prêmio de Parada. Para  assegurar um prêmio, no mínimo, nas mesmas condições que foi garantido aos terceirizados, temos que, imediatamente, realizar fortes e contundentes manifestações, já que  algumas paradas estão em andamento.

111111111111