> REUNIÃO DIA 18/11 DEBATEU PLR/BRASKEM | Sindipolo

REUNIÃO DIA 18/11 DEBATEU PLR/BRASKEM

PUBLICADO:

A reunião anterior foi dia 5/7 e depois de muitas cobranças e insistência, foi realizada esta do dia 18/11 para tratar da PLR/Braskem. No encontro a empresa informou que o valor da PLR/2011 é cerca de 20% superior ao de 2010. Em 2010 foi R$ 181 milhões e para 2011 está previsto R$ 218,5 milhões.

A Braskem alega problemas de “mercado”, para justificar esta PLR. Mas mesmo com indicativo de um valor 20% superior a 2010, as chefias estão dizendo, em algumas unidades da UNIB, que a evolução foi de 11% a, no máximo, 14%, em média. Só que, na prática, o que boa parte dos trabalhadores estão identificando, são insignificantes evoluções na fixa dos 2% a 3% em relação ao ano passado, com muitos casos, inclusive, de redução em relação ao que foi pago em 2010.

R$ 47 mil de PLR para cada trabalhador

Para se ter uma idéia da falta de transparência e de justiça na PLR paga pela Braskem, se os R$ 218.5 milhões forem divididos entre os cerca e 4.600 trabalhadores a Braskem, o valor médio a ser pago para cada trabalhador ficaria em R$ 47.400,00.

O inacreditável de tudo isso é que num ano de várias paradas de manutenção, que estariam, em princípio dentro das metas de PLR, não houve de fato evolução representativa, ficando casos de PLR inferior a 2010. Soma-se a isso a negativa da Braskem de admitir o pagamento de Prêmio de Parada aos trabalhadores diretos envolvidos na atividade. O que para os terceirizados está segundo assegurado em até 180 horas de Prêmio.

Caixa preta

A questão da PLR/Braskem, é uma verdadeira caixa preta. Não há negociação, a empresa vem com os “pacotes” fechados só comunicando o que será pago. Mesmo assim os valores que ela diz que serão pagos, dificilmente se constata na prática. A maioria dos casos são de valores bem inferiores e até redução em relação a anos anteriores.

Essa atitude da Braskem é totalmente diferente em relação a forma como se tratava a PLR nas antigas Copesul, Ipiranga e Petroquímica Triunfo. Nestas havia espaço para uma relativa negociação e transparência e as PLRs tinham valores que variavam, em média, entre 4 a 6 salários brutos.

A questão da PLR da Braskem deve ser uma negociação efetiva e transparente no que é tratado. Não só nos valores a serem pagos e a comprovação destes valores, como também durante o ano básico, o monitoramento periódico da evolução das metas e/ou PAs, ou outros critérios de aferição.

111111111111