> REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL PERMANENTE DO BENZENO AO RS | Sindipolo

REUNIÃO DA COMISSÃO NACIONAL PERMANENTE DO BENZENO AO RS

PUBLICADO:

Com a sistemática herdada da Copesul, a Braskem manteve a prática de bem receber a comissão. Com uma programação bem estruturada, iniciou com a saudação de sua diretora industrial e continuou com outras apresentações de responsáveis por áreas onde o cancerígeno benzeno está presente. Na visita nas áreas, os participantes, que podem ser em um grupo de dez pessoas por bancada, puderam constatar algumas melhorias propostas pela comissão estadual e nacional, além do GTB, oriundas de visitas anteriores e de ações do cotidiano do grupo na empresa.

Protocolo de visitas

Proposto pela bancada dos empregadores e aprovada após muitas discussões, o protocolo de visitas contempla, hoje, o máximo de dez trabalhadores, dez agentes do governo e dez representantes das empresas. Com este novo sistema implantado, muitos trabalhadores de outros segmentos acabam ficando de fora, deixando de contribuir com sua visão do chão de fábrica para melhorias ou absorvendo melhores práticas já implementadas, que poderiam gerar discussões e propostas de mudanças para melhorar outros ambientes de trabalho.

Considerações finais da

bancada dos trabalhadores

Ao final da visita, é usual a manifestação das bancadas. A dos trabalhadores, após rápida reunião, optou por não recomendar melhorias que poderiam ser implantadas por entender que o GTB da empresa encontra-se em sintonia e conhece muito bem suas áreas de atuação. De qualquer maneira, em nossa reunião, foi observado por mais de um visitante que o sistema de amostradores devolve o vapor recolhido de maneira inadequada.

O SINDIPOLO recebeu as três bancadas da Comissão para reunião na nossa sede. O objetivo de bem receber e proporcionar meios adequados para o desenvolvimento dos trabalhos foi alcançado. Tivemos, também, oportunidade de demonstrar aos trabalhadores visitantes, o nosso comprometimento e trabalho nas áreas de saúde, segurança e meio ambiente.

Uma constatação que deverá ser discutida no âmbito da CNPBz é a participação de representantes da empresa na comissão que contam como número entre os dez de sua bancada, isso deixa de oportunizar mais participações que podem, pelo acordo, serem usadas pelas outras bancadas.

A participação do GTB

O GTB da empresa fez uma rápida apresentação de seus componentes e proposta de trabalho para gestão 2013. Os componentes do GTB da Braskem conhecem, por sua competência técnica, cada problema da empresa, relativos à exposição ao Benzeno. Por isso, temos certeza, enquanto representantes na Co-missão Estadual e Nacional do Benzeno, que o trabalho da CIPA e do GTB serão satisfatórios nos diálogos e ações junto à empresa, na busca da melhoria contínua, proposta pelo acordo.

A reunião ordinária da Comissão

As reuniões da comissão têm sido conturbadas e tensas. Por existir há bastante tempo uma articulação patronal que tenta engessar nossas atividades, do modo que vêm sendo feitas. No Rio Grande do Sul, começamos ouvindo uma fala patronal, reclamando que a Petrobras ocupa grande parte da pauta e solicitando que os problemas referentes à empresa possam ser restringidos. Logicamente que, se os problemas são crescentes, as tentativas para saná-los devem acompanhar, se não, não estaríamos fazendo valer nossa representação enquanto bancada dos trabalhadores.

Outro assunto que consumiu bastante tempo foi a proposta da portaria que “oficializa” as comissões estaduais, que estão, neste momento, funcionando com duas bancadas (Governo e trabalhadores), por conta de uma “greve” dos patrões que não comparecem. Os pseudo-problemas, apresentados pela bancada patronal sobre este tema, e que não tirariam o sono de ninguém, foram enfim ajustados, e as comissões estaduais devem voltar a fazer seus trabalhos que muito têm contribuído para  melhorias nas empresas.

A reunião plenária da Comissão

Nesta, estão presentes as bancadas do Governo e trabalhadores, além dos Cipeiros, GTB e sindicatos que acompanham o acordo do Benzeno. Não podemos deixar de citar que os assuntos referentes à Petrobras, por seus desmandos e descumprimentos do acordo, se fazem fortemente presentes, de maneira a deixar os demais segmentos industriais em um segundo plano.

Só para exemplificarmos: os últimos três cadastramentos da unidade da Petrobras só aconteceram por denúncias de GTB e Sindicatos quanto às correntes de Benzeno nos processos que a empresa não reconhecia como prejudicial e existente em suas unidades. Outros importantes assuntos foram debatidos, entre eles, ações do subgrupo da comissão que trata dos postos de combustível que não estão contemplados no acordo, mas que expõem trabalhadores e usuários à contaminação por Benzeno.

111111111111