> REFAP 100% Petrobras | Sindipolo

REFAP 100% Petrobras

PUBLICADO:

A Petrobras adquiriu semana passada, os 30% da espanhola Repsol na Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), por US$ 850 milhões. Em 2001, a Repsol havia pago US$ 500 milhões pela fatia na Refap. Os trabalhadores, especialmente os ex-diretores sindicais, hoje Oposição Petroleira, vinham desenvolvendo uma campanha intensa pela negociação, que reverteria a privatização feita durante o governo FHC. O deputado estadual Raul Pont, teve papel importante neste embate, através da criação de uma Frente Parlamentar, na Assembléia Legislativa, em defesa da Refap 100% estatal. O Sindipolo, que participou do processo, buscou entrevista com o deputado, para saber um pouco mais sobre a negociação:
1. O que motivou a luta para que a Refap voltasse a ser 100% Petrobras? Tomamos conhecimento, através de uma reunião com lideranças sindicais, de que a refinaria estava prestes a perder um investimento na ordem de R$ 1,6 bilhões, em obras do PAC, devido ao poder de veto que a Repsol vinha exercendo nas reuniões das instâncias de decisão. Detentora de 30% das ações da Refap, esta empresa espanhola não tinha interesse nos novos investimentos, que são fundamentais para que a refinaria mantenha padrões de qualidade e competitividade nos mercados nacional e internacional.

 

2.Como se deu o processo e quais foram os segmentos envolvidos? Diante dessa situação que traria grandes prejuízos à economia gaúcha, tomamos a iniciativa de constituir, na Assembléia Legislativa, a Frente Parlamentar Refap 100% Petrobras, que contou com a adesão de vários deputados no seu lançamento, no dia 3 de novembro, quando realizamos um Grande Expediente no Legislativo, tornando pública a situação enfrentada pela refinaria. A partir de então realizamos uma reunião de trabalho com a participação de lideranças sindicais e empregados da refinaria, além de dirigentes da CUT. Com isso, levamos o debate para a sociedade gaúcha.

 

  1. Qual foi o papel da Frente Parlamentar para debater e apoiar a questão? A atuação da Frente foi importantíssima, pois a sociedade gaúcha tomou conhecimento de uma situação que seria prejudicial para a nossa economia. Uma comissão de deputados desta Frente foi ao Rio de Janeiro participar de audiência com a direção da Petrobras, demonstrando a urgência e importância da retomada deste controle acionário pela Petrobras. Esse posicionamento acelerou um processo que estava em avaliação na empresa, de compra das ações da Repsol. A manifestação de apoio do Legislativo Gaúcho fortaleceu essa tomada de decisão.

 

  1. Com a Refap 100% Petrobras, o que muda para os traba-lhadores? Em primeiro, conquista-se um ambiente positivo, de retomada de investimentos, de expansão, de geração de novos postos de trabalho. A associação com a Repsol vinha tornando obsoleta a empresa, como era o caso do diesel com altos índices de enxofre. A Repsol não tinha interesse nem capacidade de manter competitiva e moderna a Refap. A estatização era uma necessidade. Em segundo, o vínculo pleno com a Petrobras é positivo também para seus trabalhadores do ponto de vista das conquistas e direitos trabalhistas alcançados na empresa pública.



DESENVOLVIMENTO BY
KOD