> QUITAÇÃO DAS AÇÕES COLETIVAS | Sindipolo

QUITAÇÃO DAS AÇÕES COLETIVAS

PUBLICADO:

A empresa também quer a quitação das ações coletivas sobre HE na troca de turno ajuizada pelo Sindicato em 2005. Para isso deve propor um montante que garantiria o pagamento de uma verba a todos os turneiros, do período que vai de cinco anos antes do ajuizamento das ações, de 2000 a maio de 2011. Após esta data, seria tratado através do Acordo do EXTRATURNO. Também teriam direito ao pagamento, os turneiros contratados depois do ajuizamento das ações em 2005 e todos que foram desligados/demitidos desde 2000. O pagamento seria proporcional ao tempo que cada um trabalhou no período e o salário.

Hoje das cinco ações referentes a todas as unidades da Braskem estão em andamento s da PE 6 (Petroquímica Triunfo), da PE 4 -PP 1 e a da Copesul, hoje UNIB, para todos os turneiros, à exceção os da Planta 2. Estão extintos e arquivados os processos referentes aos turneiros da Ipiranga (PP 2 – PE 5) e da Planta 2 da UNIB.

PAGAMENTO ÀS LIDERANÇAS

 

Em relação ao pagamento da verba para quitação das ações, manifestamos à Braskem a necessidade de contemplar os então supervisores de turno da Copesul/UNIB, Ipiranga/PP2 – PE 5 e Petroquímica Triunfo/PE 6, pois nestas empresas eles recebiam o pagamento de horas extras. Assim, por questão de justiça, deve-riam também ser contemplados os supervisores/ROIs da PP 1 e PE 4, unidades controladas pela Braskem em 2005. A Braskem não se opõe ao que propomos. Ficou de avaliar a possibilidade de contemplar tanto os ROIS/supervisores das antigas Copesul, Ipiranga e Triunfo assim como os das suas unidades à época, hoje PP 1 e PE 4. Reiteramos que seria assegurado o pagamento até maio de 2011.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD