> PLASC: até quando o silêncio? | Sindipolo

PLASC: até quando o silêncio?

PUBLICADO:

Até o fechamento desta edição, o Sindicato não havia recebido qualquer retorno da empresa a respeito do contato feito para que ela revisasse sua posição e voltasse para a negociação.

O Sindipolo, desde as primeiras conversas que teve com a PLASC deixou muito claro sua visão sobre o segmento que passava a representar. Informou a empresa que o padrão de negociação que a entidade busca são os patamares que o setor comporta.

Com esta linha de atuação, fazemos a representação de forma que a vontade e direitos dos trabalhadores se faça acolhida e respeitada.

 

É hora de acordar e voltar para a negociação

É salutar para os dois lados, que continuem as discussões sobre as cláusulas propostas para o Acordo. Por isso a nossa contrariedade com a interrupção da negociação. Se a PLASC não teve, ainda, negociações com um sindicato atuante e está refratária, é hora de acordar para este novo tempo e patamar negocial. A negociação não pode depender somente da vontade e disponibilidade da empresa, afinal de contas negociação não pode ser feita por uma parte só.

Os trabalhadores reiteram sua disposição de retomada imediata da negociação com vistas a construção de uma proposta que atenda as expectativas das partes e fechamento do acordo.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD