> PARADA MANUTENÇÃO BRASKEM | Sindipolo

PARADA MANUTENÇÃO BRASKEM

PUBLICADO:

Está prevista uma reunião para o final deste mês entre os Sindicatos, a SRTE-RS e a Braskem para tratar especificamente sobre esta Parada de Manutenção que ainda não terminou porque estamos ainda com as Unidades Autoclave e Tubular, ambas da PE4, com intervenção prevista para conclusão até o dia 28 de maio.

Para que a participação do SINDIPOLO nesta reunião possa se tornar a mais representativa possível e não se torne meramente protocolar, será importante a colaboração principalmente dos envol-vidos (trabalhadores diretos ou terceirizados) nas Paradas. Solicitamos que procurem os dirigentes sindicais e relatem situações adversas, formalmente ou informalmente divulgadas neste período para que, no mínimo, possamos criar, em conjunto, ações antecipa-das para fazer com que não venham ocorrer fatos semelhantes nas próximas Paradas e em outras Unidades Petroquímicas.

Antecipando algumas ações, o SINDIPOLO volta a ressaltar a necessidade de que para partida de grandes equipamentos, devem estar na área operacional somente os operadores, ficando a manutenção em stand-by, fora da área industrial. Não podemos concordar que, paralelamente às manobras de alinhamentos de partida, continuem ocorrendo simultaneamente outros trabalhos de manutenção, programados anteriormente para que fossem executados durante o período de Manutenção e não de Partida da Planta.

 

UNIB-RS

Algumas informações importantes já foram mencionadas no informativo EM DIA 1651 da semana passada, dentre elas podemos citar a ocorrência no comissionamento da partida das unidades de Olefinas 1 e Aromáticos, quando os trabalhadores da UNIB e demais Unidades circunvizinhas (PP1, Oxiteno e Lanxess Kell), foram expostos a risco de contaminação e até a possibilidade de mais um Acidente Químico Ampliado.

Também lembramos os momentos de risco iminente no dia 26 de abril na Olefinas 1 quando a Torre 13T03 abriu suas PSV’s, colocando eteno para atmosfera e formando uma grande nuvem de gás no mesmo momento em que o Flare estava com a chama em altura de aproximadamente 100 metros, devido à queda do compressor. Por sorte (até quando contaremos com a sorte?), neste momento os ventos não aproximaram o gás com a chama do Flare que fica bem próximo da Torre 13T03. Após algum tempo, a nuvem de gás baixou, formando uma grande neblina próxima ao solo, com o risco de encontrar pontos aquecidos e gerar uma explosão. Em nenhum momento foi acionado o alarme de emergência de abandono de área, não houve comunicação para os sindicatos e nem entre as empresas do Polo.

 

UNPOL

No caso da UNPOL, vale ressaltar que o SINDIPOLO tem recebido questionamentos dos trabalhadores (diretos e terceirizados) sobre as intervenções que vêm ocorrendo no Reator Autoclave D202-C e, portanto, estaremos, nos próximos dias, solicitando uma reunião formal com a Braskem para esclarecimentos e informações relevantes ao SINDIPOLO, à CIPA e de forma direta principalmente aos trabalhadores envolvidos naquela Unidade para saber as reais condições de operacionalidade que está sendo planejado para aquele equipamento.

VALORIZAÇÃO DO TRABALHADOR

Se o assunto Prêmio de Parada deixou de ser respondido pela Braskem por estarmos na reta final da entrega das duas últimas Unidades, o SINDIPOLO continuará insistindo nesse tema. Seria, no mínimo, irresponsabilidade se concordasse em aceitar que o assunto Segurança e Integridade Física dos trabalhadores seja renegado a segundo plano em detrimento da discrição que a Braskem tem procurado abordar para fatos que consideramos cruciais, mas que a empresa tende a se preocupar com maior relevância aos impactos potenciais que o assunto pode trazer, segundo ela, para os seus negócios, para o mercado de Polímeros e seus clientes em potencial.

Se o discurso da Braskem é sempre para que a busca pelo avanço positivo nos resultados de SSMA seja o objetivo e a prioridade de cada um, e que foca sempre na proteção das pessoas, das comunidades e do meio ambiente, não podemos e não devemos aceitar esta forma doentia de tratar os fatos diferentemente dos discursos e esperamos que juntamente com os Sindicatos, a CIPA e a SRTE possamos em conjunto criar condições humanas e seguras, bem como ações objetivas que contribuam com a integridade física e psicológica de nossos trabalhadores e trabalhadoras, diretos ou terceirizados.

 

111111111111