> PAGAMENTO DO PRÊMIO DE PARADA DOS TERCEIRIZADOS | Sindipolo

PAGAMENTO DO PRÊMIO DE PARADA DOS TERCEIRIZADOS

PUBLICADO:

Definição sobre o que será pago

Depois de muitas dúvidas e espera sobre o pagamento do Prêmio de Parada aos terceirizados representados pelo Sindiconstrupolo, saiu uma definição.

Para os trabalhadores que atuaram na Parada da Braskem/UNIB serão pagas 205 horas a todos. Estava definido, caso fosse atendido tudo que estava estabelecido, o pagamento de 230 horas. Mas, conforme relatos, por problemas de prazos não cumpridos, o valor ficou em 205 horas. Os problemas relativos a acidentes não foram considerados para pagamento do Prêmio.

Braskem/UNPOL, outra empresa

Já para quem atuou nas paradas de manutenção da Braskem/UNPOL, a situação foi bem diferente. Sobre o argumento de problemas de cumprimento de prazo e acidentes, a Braskem, uniteralmente, decidiu que o pagamento será só de 160 horas. Só que segundo análise dos trabalhadores que atuaram na Parada, a maior parte dos problemas que resultaram em atrasos e até em eventuais acidentes, foram por problemas estruturais da Braskem.

Portanto, não é justo penalizar os trabalhadores por falhas que não dependeram da sua vontade e, portanto não tinham como agir para evitá-las

Esta posição da UNPOL gerou grande revolta e indignação entre os terceirizados. O Sindiconstrupolo procurou as empresas contratadas para resolver o problema pela falta de atendimento do que havia sido acordado. Com isso, as contratadas em que seus trabalhadores são representados pelo Sindiconstrupolo, decidiram pagar a diferença de 45 horas, das 160 definidas pela UNPOL até as 205 horas que foram pagas ao pessoal que atuou na UNIB. O objetivo é garantir que todos os trabalhadores destas empresas recebessem o prêmio de parada no mesmo valor.

Ficou ainda definido que o pagamento do Prêmio de 205 horas destes trabalhadores será feita até terça-feira, dia 17 de junho.

Além de todas as dificuldades em fazer o Acordo de Parada dos terceirizados, principalmente por parte da Braskem, o que se constata é que UNIB e UNPOL parece que são duas empresas diferentes

 

E PARA OS TRABALHADORES DAS DEMAIS CONTRATADAS, COMO FICA O PRÊMIO?

Muitos trabalhadores que não são representados pelo Sindiconstrupolo (que têm um Acordo de Parada com as empresas) e atuam em várias outras empresas, estão na expectativa de receberem o Prêmio de Parada.

Isso porque, independente do Acordo fechado entre o Sindiconstrupolo e as empresas onde atuam os trabalhadores representados por ele, os de outras empresas como pessoal da vigilância que trabalham na GPS, motoristas (tanto turno quanto ADM), pessoal das áreas de apoio, serviços alimentação e outros, também, a partir do que foi estabeleccido, terão direito ao Prêmio.

Estes trabalhadores têm feito contato sistemático com o Sindipolo, assim como com os dirigentes sindicais nas várias unidades da Braskem, querendo saber uma posição sobre o Premio de Parada.

A Braskem e as empresas contratantes devem resolver entre elas o pagamento do que foi acordado ou prometido aos trabalhadores nas datas previstas e agilizar o pagamento. Está havendo um processo de indignação e revolta muito grande por parte do conjunto dos trabalhadores terceirizados que atuaram na Parada, pela falta de definição quanto ao pagamento do Prêmio.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD