> NEGOCIAÇÃO SALARIAL 2016 | Sindipolo

NEGOCIAÇÃO SALARIAL 2016

PUBLICADO:

PAUTA FOI APRESENTADA ÀS EMPRESAS

 

Na reunião de negocia­ção no dia 5, apresentamos, às empresas, nossa pauta de reivindicações. Nesta desta­camos os tópicos citados no quadro abaixo e outros itens.

Tratamos da comunica­ção, ao SINDIPOLO, no caso de ocorrências de emer­gências e/ou acidentes e a participação da entidade na análise das ocorrências; que todos os cursos obrigados pela legislação e outros para o pessoal de turno sejam de forma presencial e fora do horário normal de trabalho; informação aos trabalhado­res no caso de implementa­ção, no processo produtivo, de novas tecnologias, como nanotecnologia; participação do Sindicato nos simulados de emergência; treinamento, pelas empresas, com vistas a combater o ASSÉDIO MORAL; pagamento de interinidade a partir do primeiro dia de subs­tituição, considerando, para o interino, os mesmos salários e benefícios do substituído; transporte para as universida­des para os trabalhadores do ADM; adicional de penosida­de de 30%; auxílio-farmácia; aumento do número de di­rigentes sindicais liberados para atividades de interesse da categoria, sem prejuízo de sua remuneração; palestra do Sindicato no processo de integração de novos trabalha­dores, entre outras questões.

As empresas ficaram de analisar o que foi apre­sentado pelo SINDIPOLO e, nos próximos dias, agendar um novo encontro onde se posicionarão sobre a pauta apresentada.

RESPEITO ÀS DECISÕES DOS TRABALHADORES

Na reunião de negocia­ção o Sindicato também fez um apelo às empresas para que não “coloquem” na fo­lha de pagamento propos­tas de reajuste salarial rejei­tadas pela categoria como vem acontecendo nos últi­mos anos. Essa atitude re­presenta um desrespeito ao que foi decidido pela cate­goria, ao próprio processo de negociação e resulta em revolta e indignação entre os trabalhadores.

 

PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES:

data-base 1º de setembro (CLÁUSULA 1ª);

manutenção das conquistas do atual Acordo com avanços em algumas questões (CLÁUSULA 3ª);

reajuste salarial de 14,62% sem escalo­namento, composto pelo INPC dos últimos 12 meses (DB Setembro 9,62%) + 5% de au­mento real (CLÁUSULA 5ª);

pagamento de todas as horas extras e multa nos casos de não pagamento (CLÁU­SULA 9ª, § 2º);

abono de férias de um salário bruto + 1/3 estabelecido em lei (CLÁUSULA 12ª);

licença-paternidade de 20 dias (CLÁUSU­LA 13ª);

auxílio educação de R$ 4.500,00 para os trabalhadores de todas as empresas, além de instituições de ensino, também para curso de idiomas (CLÁUSULA 15ª);

seguro aposentando de 60 meses (CLÁU­SULA 16ª, § 3º);

quatro folgas individuas a critério de cada trabalhador (CLÁUSULA 36ª, § 2º);

vale alimentação mensal de R$ 390,00 (CLÁUSULA 40ª);

reajustes do valor da participação do trabalhador no Plano de Saúde de, no má­ximo, o percentual do reajuste salarial da categoria (CLÁUSULA 44ª, § 1º);

não haverá discriminação por questão de gênero (para os trabalhadores e as traba­lhadoras) em relação a todas as conquistas do Acordo Coletivo (CLÁUSULA 53ª).