> NEGOCIAÇÃO NA LANXESS NÃO AVANÇA | Sindipolo

NEGOCIAÇÃO NA LANXESS NÃO AVANÇA

PUBLICADO:

Até o momento a proposta da LANXESS é novamente inferior ao acordo vigente.  Na reunião da semana passada, apesar de vir com cálculos de incorporação do cartão alimentação baseados em índice de 6,31%, nenhuma nova proposta de índice foi apresentada. De resto apresentou o que segue:

 

Cláusula 7 – auxílio creche: A proposta é de retirada do parágrafo segundo, que prevê o pagamento do auxílio pré-escolar até os 6 anos e 11 meses ( 81 meses) passando a pagar o auxílio até o 48º mês. Anteriormente a proposta era de pagar apenas 30 meses. Resta dizer que na comparação entre o que era praticado e o que está sendo apresentado estamos nova-mente diante de uma retirada de direito. A alteração proposta representará uma economia entre 3% e 18% para a LANXESS com o não pagamento de auxílio entre o 49º e o 81º mês.

 

Seguro aposentando: Voltou atrás e decidiu manter a cláusula para o IHPREV e PETROS por 12 meses. “Manter a cláusula após ameaçar retirá-la passa a sensação de evolução” é o que deve estar escrito em algum manual de estratégias de negociação dos anos sessenta. Quem assim quiser interpretar que interprete. Lembrando que no resto do Polo o “seguro aposentando” é de 42 meses para INSS.

Incorporação do cartão alimentação: A incorporação é sem dúvida muito conveniente para a empresa. Trabalhando na perspectiva de grande recomposição de quadro de pessoal, incorpora para quem está a um passo da aposentadoria e não paga para a grande maioria de novos trabalhadores que entrarão.

 

Negociação está no limite

Na fatídica negociação de 2010 com os ataques que a empresa fez acabou no final das contas conseguindo retirar do acordo a contribuição ao plano de saúde que traz ao trabalhador o benefício da Lei 9556/98. Agora é a vez de economizar na cláusula do auxílio creche.  O que está se avizinhando é a possibilidade de não fe-charmos acordo por absoluta intransigência da empresa. Temos toda a vontade de negociar. Não que-remos o melhor de dois acordos como vem dizendo a LANXESS. Mas o pior dos dois que é o que se apresenta muito menos. Queremos uma coerente equiparação com o acordo da categoria e isonomia com os seus trabalhadores da TRP. Não podemos e não aceitaremos mais retiradas de direitos.

Se fosse tão vantajoso negociar em separado após quatro meses já deveríamos ter fechado o acordo, com índice e cláusulas sociais de dar inveja ao restante da categoria. No entanto o que efetivamente os trabalhadores da LANXESS PBR “tem na mão” são 5,39% de reajuste e novos ataques a direitos.

Para deixar bem claro: A nossa proposta para o acordo 2012/13 segue sendo o acordo em separado. É de certa maneira uma oportunidade da empresa provar a “grande vantagem” que é esta negociação sem a “contaminação” das demais empresas. Notem que entre as outras está ELA MESMA, a LANXESS TRP. Parece piada.

 

Acordo de turno

No acordo de turno ao invés de avançar com alguma proposta que evolua para o que já pratica na LANXESS TRP usou da reunião para nova-mente perguntar onde poderia evoluir. Algumas sugestões estão na capa do Em Dia 1571, mas não custa repetir ao menos uma que não tem impeditivos legais alegados pela empresa: hora extra a 100% a partir do oitavo feriado e para quem trabalhar no Natal e no Ano Novo. É hora de avançar.