> GESTÃO CRIMINOSA NA MASISA RESULTA EM CINCO MORTES | Sindipolo

GESTÃO CRIMINOSA NA MASISA RESULTA EM CINCO MORTES

PUBLICADO:

Fomos procurados por vários trabalhadores da MASISA, que denunciam, conforme as fotos destas páginas ilustram, que outros incêndios já ocorreram nesta empresa. Mas, mesmo assim, a empresa não tomou medida alguma de prevenção de ocorrências deste tipo. O resultado foi o grave acidente do dia 22, com a morte de cinco pessoas e outros trabalhadores feridos. Ainda  tem um trabalhador em estado grave.

DESCASO COM A SEGURANÇA

O que aconteceu é uma evidência do descaso com que esta empresa trata a questão da segurança e o desrespeito a vida.

Mostra a gestão criminosa da Masisa. Ela sabe que o ambiente de trabalho é de alto risco. Houve outros incêndios e mesmo assim ela não tomou qualquer providência  para garantir a segurança. Permitiu que um acidente de maior gravidade viesse a acontecer.

Em outras unidades da Masisa também ocorrem acidentes com  incêndios. Para ver acesse a internet e digite “acidentes na Masisa”, inclusive com vídeos no You Tube.

UNIDADE SUCATEADA

Ao que consta, esta unidade da Masisa, ou ao menos parte dela, foi trazida da desativação de uma outra unidade que a empresa tinha no Canadá, que inclusive já se encontrava em precárias condições.

MUITOS INCENTIVOS, POUCA SEGURANÇA

A instalação desta fábrica contou com generosas vantagens, incentivos e financiamentos públicos, do município de Triunfo, governo do RS (Fundopem) e federal (BNDES).  É dinheiro público financiando uma empresa que não garante segurança e não respeita a vida.

A Masisa tem 12 fábricas distribuídas no Chile (7), Argentina (1), Venezuela (1), México (1) e Brasil (2), uma no RS e outra no Paraná.

 

SRTE MOSTRA DESCASO DA MASISA COM A SEGURANÇA

Um levantamento dos fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (SRTE) apontou que a empresa Masisa não tem um plano de prevenção de acidentes como o do dia 22. A empresa foi interditada pelo Ministério do Trabalho até apresentar um plano de segurança que garanta que novos acidentes como este não ocorram.

Para o auditor da SRTE, o acidente é resultado de problemas que incluem desde o projeto de instalação da empresa, local e condições de funcionamento da peneira (setor onde houve o acidente), entre outros.

Além da fiscalização da SRTE, investigam o acidente a Polícia Civil e o Ministério Público do Trabalho (MPT) de Santa Cruz do Sul. A Masisa tinha a obrigação de  prevenir este tipo de acidente. As responsabilidades dela serão apuradas, e a empresa  terá que adotar medidas para evitar novas ocorrências.

DANO MORAL

Segundo o MPT, a Masisa irá responder a processo por dano moral coletivo, que deverá servir de exemplo, com pesadas multas e indenizações, para que ela e outras empresas  garantam a segurança dos trabalhadores. A empresa já foi multada pela SRTE, mas as condições de insegurança continuaram.