FLASHEAMENTO COM FOGO NA PLANTA DE EPS-2 NA INNOVA

PUBLICADO:

No domingo, dia 05 de janeiro, infelizmente, houve mais um incêndio nesta unidade. Porém, desde a partida da unidade de Poliestireno Expansível (EPS), em 2016, o Sindipolo vem relatando no EM DIA, os diversos acidentes com fogo, inclusive um deles com vítima, devido a inúmeros problemas técnicos que foram reconhecidos pela empresa. Inclusive o Auditor Fiscal do Trabalho (AFT) na época fez inspeção na Unidade e emitiu várias notificações para melhorar a segurança dos trabalhadore e, tambem, do meio ambiente de trabalho.

O acidente do domingo (05) foi na unidade EPS-2, teoricamente revisada tecnicamente em seu projeto. Mas novamente houve um acidente com fogo, desta vez sem vítima, e estes vêm causando cada vez mais stress e medo nos trabalhadores, porque sempre há pela empresa uma presunção de culpa dos trabalhadores.

Positivamente desde a compra da Petroquímica Innova pela Videolar a empresa vem “investindo com recursos do Fundopem” em novas unidades, como por exemplo, a unidade de EPS e PHX e ampliando outras como por exemplo a Unidade de Estireno. Porém técnicas como o Hazop, Análises Preliminares de Risco e boas práticas na integração entre as gestões nas instalações a fim, de identificar potenciais e/ou problemas de operacionalidade falharam e isto tem causado inúmeros acidentes na empresa.

É inadmissível que a “GESTÃO INNOVA” não consiga detectar e corrigir os problemas técnicos de projetos destas unidades os quais vem diminuindo produtividade da empresa e gerando desconfiança dos seus trabalhadores e principalmente dos seus clientes.

Por estes motivos o Sindipolo fez nova denúncia à unidade descentralizada do Sistema Federal de Inspeção do Trabalho porque julgamos a necessidade de fiscalização junto a estas unidades da petroquímica Innova, no intuito de evitar um futuro acidente químico ampliado com vítimas no III Polo Petroquímico do Rio Grande do Sul.

 




DESENVOLVIMENTO BY
KOD