> FISCALIZAÇÃO DA SRTE NA UNIDADE DE EPS DA INNOVA | Sindipolo

FISCALIZAÇÃO DA SRTE NA UNIDADE DE EPS DA INNOVA

PUBLICADO:

No dia 10 de outubro o SINDI­POLO acompanhou a SRTE-RS na fiscalização da planta de Poliesti­reno Expandido (EPS) onde, após vários incêndios ocorridos, no dia 7 de outubro, um de maior proporção vitimou um Técnico de Operação, com queimaduras em todo seu rosto.

FISCALIZAÇÃO DA SRTE NA UNIDADE DE EPS DA INNOVA

A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-RS) fez várias notificações para a Innova, onde desta­camos como principais: mudanças de projetos; eliminação do risco de flashe­amento (incêndio); enclausuramento dos locais de batelada de aditivos com melhoria no sistema de exaustão; apre­sentação da listagem de produtos com os seus FISPQ (Folha inspeção seguran­ça de produtos químicos); resultado das avaliações de poeira do processo; trei­namento dos operadores na área, aná­lise de risco do setor; descritivo dos pro­cedimentos operacionais; entre outros.

Na fiscalização, chamou a atenção que a unidade estivesse com tantos pro­blemas de projeto e, principalmente, as suas análises de risco não contempla­rem a saúde e a segurança dos traba­lhadores. Em razão disto, o SINDIPOLO solicitou para a empresa, a participação na comissão de investigação do acidente ao lado da CIPA.

TRUCULÊNCIA E AUTORITARISMO

Neste mês de outubro a Innova completa três anos de uma gestão tru­culenta e autoritária, que somente visa o lucro incessante e, para os trabalhado­res, o que sobra são as demissões, a to­tal precarização de direitos, benefícios, saúde e segurança.

Neste caso, ainda, não recebemos da Innova o retorno ao pedido formal do SINDIPOLO de reunião específica para tratar do acidente com vítima no dia 7 de outubro.

Como já foi citado, mesmo que al­guns gestores tendem a tratar os even­tuais problemas a bom termo, o que muitas vezes é boicotado, por outro lado o que acaba predominando são os que optam pela truculência e o autori­tarismo.
ACIDENTE AMBIENTAL NA

UNIDADE DE POLÍMERO DE GPPS

Novo acidente ocorrido na Innova, agora na partida da unidade de Polímero da GPPS (Polímero Cristal), nos dias 9 e 10 de outubro.

É inaceitável a gestão de “mordaça” adotada pela Innova, pois durante a fisca­lização da SRTE no dia 10 de outubro a res­peito do acidente dia 7/10, ficou evidente “no ar”, embora não tenha sido explicita­da na hora, mas em seguida veio à tona o que havia ocorrido. Devido a problemas técnicos houve um grande vazamento de estireno, o qual exigiu a imediata inter­venção pelo setor de segurança e meio ambiente (SESMA) que adotou procedi­mento de espalhar espuma no piso para inibir volatização e formação de uma at­mosfera explosiva.

Com certeza, entre os motivos mais fortes para a ocorrência deste acidente, estão a falta de efetivo, a baixa seniori­dade, a falta de treinamento e, sem dúvi­da, também o stress dos trabalhadores a esse terrorismo psicológico exercido por esta “nova gestão”.

Neste acidente, os trabalhadores fica­ram expostos a grande concentração de es­tireno. A expectativa é que seja feita uma investigação que identifique de fato, as efe­tivas causas desta ocorrência, que poderia ter como consequência uma explosão, possibilitando o acontecimento de um acidente químico ampliado, atingindo também as demais empresas do Polo.