> DIA INTERNACIONAL DA MULHER | Sindipolo

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

PUBLICADO:

No próximo dia 8 de março o mundo comemora o DIA INTERNA­CIONAL DA MULHER. A data é um importante momento para homena­gear as mulheres e ampliar o debate sobre as pautas femininas. A data está também relacionada as lutas das mulheres por melhores condi­ções de trabalho, por uma vida mais digna e sociedades mais justas e igualitárias, que resiste a discrimina­ção, ao machismo e a violência. Uma luta que iniciou há séculos, quando as mulheres começaram a reivindi­car participação política, o fim da prostituição, o acesso à ins­trução e a igualdade de direitos entre os sexos.

Apesar de ter iniciado antes, com a Revolução Industrial iniciaram as grandes greves de mulheres que começaram a ser contratadas pelas indústrias, como forma de baratear os salá­rios. Elas eram obrigadas a conviver com jornadas de até 17 horas, em condições insalubres, submetidas a espancamentos e ameaças sexuais constantes, além de receber salários que chegavam a ser 60% menores que os dos homens. Em muitas fábricas, trabalhavam em ambientes úmidos, com portas e ja­nelas fechadas, proibidas de ir ao banheiro, beber água, abrir janelas e acender as luzes.

Com isso começaram a surgir na Europa e EUA, manifes­tações operárias contrárias a estas condições de trabalho. A redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias passou a ser a grande bandeira dos trabalhadores indus­triais. Foi com as manifestações pela redução da jornada de trabalho que 129 tecelãs da Fábrica de Tecidos Cotton, em Nova Iorque, cruzaram os braços e paralisaram os trabalhos pelo direito a uma jornada de 10 horas, na primeira greve norte-ame­ricana conduzida unicamente por mulheres. Violentamente reprimidas pela polícia, as operárias, acuadas, refugiaram-se nas dependências da fábrica. No dia 8 de março de 1857, os patrões e a polícia tran­caram as portas da fábrica e atearam fogo. Asfixiadas, dentro de um local em chamas, as tecelãs morreram carbonizadas.

Foram muitos os movimentos que atestam a luta das mu­lheres, como a greve das operárias russas por pão e paz, em fevereiro de 1917 pelo calendário russo, que correspondia ao 8 de março no calendário ocidental, quando mulheres tecelãs da Rússia começaram uma greve que mudou completamente os rumos da política do país e foi o estopim da Revolução Rus­sa. Em 1921, a Conferência das Mulheres Comunistas, realiza­da em Moscou, adota o dia 8 de Março como data unificada do Dia Internacional das Operárias.

O SINDIPOLO parabeniza todas as trabalhadoras, especial­mente as petroquímicas, pelo Dia Internacional da Mulher.