> CAMPANHA SALARIAL 2011 | Sindipolo

CAMPANHA SALARIAL 2011

PUBLICADO:

Estamos inciando a campanha salarial onde vamos negociar todo o acordo coletivo. Na negociação de todo o acordo em 2009, conseguimos muitas conquistas, principalmente para os trabalhadores da Braskem nas unidades PP1, PP2, PE4 e PE6. Mas a maioria destas conquistas, muitas já contempladas no acordo da Unib/Copesul, não foram asseguradas/estendidas aos trabalhadores da Borealis, Oxiteno, Innova e DSM.

As principais questões da pauta, inclusive a unificação da DB em setembro, foram tratadas em nível nacional em reunião dia 16/8, com os representantes dos trabalhadores da Braskem. Na BA, AL e RJ a DB é setembro.

Nesta negociação temos que garantir que todo o acordo seja extensivo a toda a categoria. Temos algumas questões importantes, que inclusive já são praticadas em outras regiões pela Braskem, como melhorias no abono de férias, na licença-maternidade para seis meses, no auxílio-educação para R$ 1.500,00, horas extras a 120%. Também assegurar a aposentadoria especial e cartão ponto nas portarias.

Acordo coletivo anual

Já a vigência do acordo, que nos últimos anos vem sendo de dois  anos, nesta negociação temos que garantir que seja por um ano. Não podemos permitir que venha a ocorrer, num futuro próximo, o que houve em 2010, quando tratávamos do reajuste salarial e as empresas atropelaram a negociação, colocando o reajuste, mesmo rejeitado pelos trabalhadores, na folha de pagamento.

 

Temos compromisso com o que acordamos

Só assinamos Acordos Coletivos depois que as propostas são aprovadas pelos trabalhadores, após exaustivos debates e em assembléias.  Por isto temos responsabilidade em defender o que é coletivamente acordado.

Nosso compromisso é com a categoria.

Na negociação do Acordo de Turno as empresas estão tentando tirar  as férias com períodos de sete dias. O principal argumento é de que existem ações judiciais individuais cobrando férias de 10 dias e que estas ações foram ajuizadas pelos advogados que prestam assessoria jurídica para o Sindipolo.

Já manifestamos que, embora não concordando com estas ações, não nos achamos no direito de impedir que os advogados do Escritório que assessora o sindicato, atendam estas demandas. Muito menos que os trabalhadores, individualmente, entrem na Justiça com ações deste tipo. Até porque, na maioria dos casos, são motivados a isto, pois estão revoltados e indignados, por entenderem que foram injustamente demitidos.

Mas mesmo com as reservas citadas acima, entendemos que o interesse coletivo está acima do individual. O que está nos Acordos Coletivos é para atender o interesse do conjunto da categoria. São questões que muitas vezes conquistamos depois de muitas lutas e dificuldades. Por isto o Sindicato tem a responsabilidade de defender o que está nos Acordos.

Nos vemos, inclusive, no compromisso de, em qualquer fórum,  reafirmarmos o que é estabelecido nos Acordos que assinamos. É claro que para isso, os mesmos devem estar sendo rigorosamente cumpridos pelas empresas. Assim estaremos defendendo os interesses coletivos da categoria. Temos tranquilidade em agir desta forma, porque  só assinamos

Acordos Coletivos depois que as propostas são aprovados pelos trabalhadores. Pois como já afirmamos, fazemos isto depois de um transparente, amplo e exaustivo debate das propostas, em assembléias da categoria.