> BRASKEM: EM TRÊS DIAS, DOIS ACIDENTES | Sindipolo

BRASKEM: EM TRÊS DIAS, DOIS ACIDENTES

PUBLICADO:

Entre sexta-feira passada e domingo ocorreram dois acidentes graves nas áreas da Braskem.

1) Dia 11, na PE5, duran­te a montagem de andaime ocorreu rompimento de um tubing de flushing de n-hexa­no, ocasionando vazamento do produto e consequente­mente atingindo trabalhado­res que estavam envolvidos na execução do trabalho, bem como os demais que estavam próximos do local. Pela gravidade da ocorrên­cia foi necessário o aciona­mento do alarme sonoro de emergência.

Os trabalhadores con­taminados pelo n-hexano foram encaminhados para atendimento médico no PAME, com posterior enca­minhamento para serviços especializados.

O Sindicato não recebeu ainda informações oficiais sobre este acidente.

2) Também muito grave foi a ocorrência no Domin­go, dia 13 pela manhã, no reator 1 da planta Auto­clave de PEBD da PE4-RS, quando o sistema de inter­travamento e de alívio do reator atuou em função de decomposição que causou rompimento do disco de ruptura e gerou fogo na saí­da do tubulão, no momento da despressurizarão do gás para a atmosfera.

Entendemos que por mais que projetos abordem a possibilidade de ocorrências como a de domingo, deve­mos lembrar que o acidente poderia ter causado além das perdas materiais, danos aos trabalhadores que são “tomados de surpresa” por estarem nas proximidades da área atingida. As telhas danificadas no armazém de produto acabado e as que­bras de vidros no prédio da manutenção comprovam algumas das consequências que o deslocamento de ar gerado em eventos como esse pode causar.

Como a ocorrência foi no final de semana, a quan­tidade de pessoas que nor­malmente estão naquela unidade era bem menor, mas demonstra que os ris­cos são grandes e que não se resumem apenas ao am­biente enclausurado da casamata onde ocorreu o incêndio. Aliás, moradores de cidades vizinhas ao Polo relataram ao Sindicato que ouviram o estrondo gerado no momento que ocorreu a atuação do sistema de alívio do equipamento.

 

NÃO PODEMOS CONTAR COM A SORTE

Não é razoável contar com a sorte. É preciso ter certeza que acidentes des­ta natureza não ocorram. O SINDIPOLO, juntamente com a Rede de Trabalhadores(as) na Braskem vem monitoran­do todos os acidentes da em­presa no Brasil. Os sindicatos têm se preocupado muito com esta questão e recente­mente se reuniram em São Paulo para tratar exclusiva­mente do tema. Rememora­mos os seminários nacionais

feitos em 2010 e 2013 para tratar a questão e podemos constatar que os cenários da época pouco mudaram, apesar dos esforços dos sin­dicatos em tentar um diálogo mais efetivo com a empresa.

A Braskem precisa en­tender de uma vez por todas, que é necessário ouvir as re­presentações dos trabalha­dores, que sempre estiveram disponíveis para buscar em conjunto, medidas e ações concretas de prevenção de acidentes e preservação da saúde e segurança de todos os trabalhadores.

Um exemplo disso na Braskem é com relação ao orçamento para 2016 que não contempla com rele­vância a necessidade de serviços de manutenção corretiva, preventiva e mui­to menos preditiva. Isso não ocorria antes da chegada da Odebrecht no setor. Se não forem investidos recursos necessários para a manu­tenção adequada dos ativos industriais, as plantas conti­nuarão sendo sucateadas e as possibilidades de novas ocorrências de vazamentos, incêndios e explosões, con­tinuarão fazendo parte da rotina dessas unidades.

Em função do que signifi­ca todo esse processo indus­trial de capital intensivo que requer alto grau de tecnologia e possibilita grande geração de riquezas, mesmo com efetivos abaixo do mínimo de seguran­ça, como tem sido a realidade dos trabalhadores nas empre­sas do Polo Petroquímico, há que se ter um compromisso de todos os setores e cuja polí­tica não seja norteada apenas pelos custos.