> ATO NO POLO MARCOU O DIA INTERNACIONAL DA MULHER | Sindipolo

ATO NO POLO MARCOU O DIA INTERNACIONAL DA MULHER

PUBLICADO:

Com carro de som, faixas, camisetas e distribuição de material, o SINDIPOLO celebrou o DIA INTERNACIONAL DA MULHER, comemorado dia 8 de março. A atividade lembrou a luta das mulheres por respeito e valorização e a busca constante da superação do preconceito e da discriminação.

MULHERES SÃO PROTAGONISTAS

“É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o traba­lho poderá garantir-lhe uma independência concreta”.

(Simone de Beauvoir, escritora francesa)

Apesar da luta e da resistência das mulhe­res ocorrer há mais de 150 anos, muitas ações ainda são necessárias, não só para garantir direitos e igualdade de oportunidades, mas também para exigir res­peito e valorização.

Mercado de traba­lho, política, atuação sindical, cargos gerenciais, igualdade salarial, divisão de tarefas, entre outras questões, são espaços onde as mulheres ainda têm que avançar.

As estatísticas mostram que elas estudam mais, mas ainda ocupam menos cargos gerenciais e têm salários me­nores. Ainda morrem vítima do machismo, muitas vezes dentro de suas próprias casas e por falta de políticas públi­cas que atendam as necessi­dades enfrentadas por elas.

As práticas machistas es­tão presentes em vários es­paços e enquanto existirem, é preciso continuar lutando incessantemente.

MAIOR PARTICIPAÇÃO NA VIDA SINDICAL

A participação das mulheres na vida sindical é uma questão urgente. Muitas entidades, como CUT e CNQ, tem garanti­do espaços para elas em suas direções. No último congresso da CNQ, reali­zado em julho de 2013, a composição da direção plena foi constituída através do me­canismo de cota de gênero que estabelece participação mí­nima de 30% de um dos sexos. Atualmente, são 11 mulheres na direção que inclui a presidência da entidade, reforçando a importância das mulheres em diretorias e pastas estratégi­cas no movimento sindical.

Assim, é preciso comemorar as conquistas e os avanços das mulheres, resultado do seu próprio protagonismo. Mas é também necessário continuar avançando na direção da su­peração dos desafios que ainda se impõem.