> Assédio moral, desrespeito e práticas anti-sindicais | Sindipolo

Assédio moral, desrespeito e práticas anti-sindicais

PUBLICADO:

As práticas das empresas terceirizadas para tentar impedir os trabalhadores de lutar por seus direitos são variadas. Do assédio moral, caracterizado pelas ameaças de demissões, a ilegalidade das práticas antisindicais, como tentar impedir os trabalhadores de falar com o Sindicato, tudo é tentado. Pois é exatamente isso que vem acontecendo na Mills e Sermotec, duas empresas terceirizadas da Braskem.

Além de desrespeitarem os direitos dos trabalhadores, alegando que não tem obrigação de seguir o Acordo Coletivo firmado com o Sindiconstrupolo e que estão “tratando” com outro sindicato, que não é da base e não representa os terceirizados do Polo, estas empresas estão ameaçando os trabalhadores com demissão, caso procurem o Sindiconstrupolo.

Chegam ao extremo de sugerir que se o Sindicato chegar perto, os trabalhadores serão demitidos. Isto é um absurdo e uma flagrante e inaceitável ação de prática antisindical.

Como a situação não é de hoje, o Sindiconstrupolo já esteve reunido com a contratante Braskem para pedir uma solução imediata em relação a estas terceirizadas. Mas até o momento, a Braskem nada fez, o que só faz pensar que ela apóia e é conivente com esta prática.

De sonho a pesadelo

Numa atitude antiética e enganadora, estas empresas ainda assediam os trabalhadores das demais empresas, prometendo salários melhores. Neste sentido o Sindicato alerta: se ela trata com desrespeito os seus atuais trabalhadores e quer liderar na base do medo, seguramente não honrará as promessas feitas. Quem conhece suas práticas sabe que o que é vendido como sonho, se torna um pesadelo.

O Sindiconstrupolo continuará buscando uma solução contra o que estas empresas pretendem e não descarta atitudes fortes para garantir o respeito aos trabalhadores e aos seus direitos.

111111111111