> Altíssimos resultados, baixíssimas PLR | Sindipolo

Altíssimos resultados, baixíssimas PLR

PUBLICADO:

O Grupo Odebrecht, controlador da Braskem, registrou o maior lucro de sua história desde que foi criado, em 1944. Em 2010, o lucro líquido da companhia e controladas foi de R$ 2,7 bilhões. Um aumento de quase 180% sobre 2009. Areceita bruta foi de R$ 53,8 bilhões, uma alta de 27% no período. Os ativos do grupo cresceram  57% sobre 2009.

Este crescimento contou com expressiva ajuda do governo, via  Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS), gerido pela Caixa Econômica Federal, BNDES, FAT e Petrobras que injetaram bilhões nas empresas do grupo Odebrecht, quer em parcerias, empréstimos ou em prorrogação de financiamentos.

PLR e lucro líquido

A PLR deveria estar diretamente relacionada ao lucro líquido das empresas. É o que acontecia nas antigas Copesul, Ipiranga e Petroquímica Triunfo, onde as PLRs variaram de quatro a seis salários.

Mas no caso da Braskem, isto é ignorado. Tanto que a PLR nesta empresa tem sido sistematicamente muito inferior aqueles valores. Demissões, novos trabalhadores recebendo salários mais baixos, resultado maior, ganho em escala pelo volume, 100% dos petroquímicos básicos, polietileno e polipropileno, mostram que a  Braskem tem condições reais de pagar uma PLR superior ao que as antigas Copesul, Ipiranga e Triunfo pagavam. Mas não paga em função de sua desenfreada  ganância.

Uma demonstração clara desta cega ganância é a falta de respeito aos trabalhadores. Isso fica evidenciado quando comemora resultados que trazem prejuízos aos trabalhadores, como é o caso da retirada de patrocínio do Plano Petros. Ignora os enormes prejuízos que isso tem provocado para todos os assistidos.

Mas vai além. Tem a coragem de anunciar que para a maioria  dos trabalhadores, os seus excelentes resultados  proporcionarão uma elevação de  insignificantes 3% na PLR. Mas para a chefia, gerência e diretores, provavelmente, a PLR, que já é bem maior, vai ter um aumento de 30%.

Isto, como temos reiterado, caracteriza bem a visão da Odebrecht/Braskem e demonstra a falta de  respeito que tem àquelas pessoas que contribuíram decisivamente na conquista dos resultados alcançados em 2010.