ACORDO GERAL E DE TURNO – LANXESS PBR

PUBLICADO:

Trabalhadores aprovaram com insatisfação as propostas

Reajuste de 7,52% até os salários base de R$7.713,15 e valor fixo de R$ 580,03 para salários superiores; Piso, Auxílio creche, Auxílio  excepcional, reajuste de 7,52%; Auxílio odontológico –  Reajuste de 6,35% (fica em  R$ 957,15); Pagamento de, no mínimo, 4 horas extras para quem for a fábrica trabalhar sem prévio aviso; Garantia do acordo até 6 meses após o vencimento; Garantia de pagamento de hora extra no mês subsequente ao de sua realização.

ACORDO DE TURNO ACORDO POR DOIS ANOS

Aumenta a possibilidade de trocas para 8; Garantia de monitoramento do efetivo para que seja assegurada a operacionalidade segura. Previsão de que estagiários poderão desenvolver atividades no turno.

Uma significativa rejeição de 30% para o acordo geral e 40% no acordo de turno ficou demonstrada.

 

CLIMA DE INSATISFAÇÃO

As votações demonstraram que há insatisfação. Vários fatores e condições contribuíram para este clima, entre eles:

O acordo de turno e o rigor nas interpretações e aplicações legais que tornam muito difíceis as trocas o que por consequência acaba com a vida social dos operadores;

A pressão para converter horas do “banco de horas” em folgas segundo a conveniên-cia da empresa; alterações de horários do transporte e na entrada dos turnos com a velha “viração de roda” nas chegadas;

Soma-se a isso a falta de evolução no acordo geral, principalmente na questão do seguro aposentando que pela sua errônea divulgação pela área quase levou ao adia-mento das assembleias.

Na LANXESS PBR não são permitidas DOBRAS muito menos por trocas; os intervalos intrajornadas devem respeitar o intervalo mínimo de 11 horas e as trocas não podem implicar em trabalho por sete dias corridos.

O respeito aos critérios descritos podem ter funda-mento, no entanto o pre-juízo que trazem pela sua aplicação é maior que o benefício que poderiam trazer.Ou seja, na prática a aplicação da legislação e seus critérios piora a situação do trabalhador.

A dificuldade para quem estuda, tem compromisso em um dia de trabalho e depende de uma troca são tantas que se desiste mesmo antes de propô-las. Para se tornarem possíveis dentro dos rígidos critérios é necessário que alguém venha trabalhar no meio de seu folgão ou folga ou em função de um compromisso em um dia é preciso realizar várias trocas.

Os estudantes acabam tornando-se reféns e não fosse o bom senso de colegas que acabam também se sacrificando não poderiam estudar. Como se já não bastasse a falta de incentivo econômico da empresa à educação, temos mais esta situação que impõe enormes dificuldades.

 

BANCO DE HORAS

Diversas vezes discutimos esta questão com a empresa inclusive com a consi-deração de 1 hora extra sendo equivalente a duas de folga. Já houve proposta neste sentido para a LANXESS KELL e na época aceitamos discuti-la desde que fosse levada para ambas as empresas. A LANXESS não aceitou. Fica difícil entender esta postura e toda a prática diferenciada entre PBR e KELL.

 

NEGOCIAÇÕES DEVEM SEGUIR

Mesmo com o fecha-mento dos acordos as várias demandas e situações nar-radas nos levam a continuar a negociação e é o que vamos propor à empresa em reunião a ser realizada em breve.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD