TRABALHADORES REJEITAM PROPOSTA DA ARLANXEO

PUBLICADO:

Nas assembleias com votação secreta realizadas na semana passada, cerca de 65% dos participantes rejeitaram a proposta da empresa de reajuste salarial de 3,64% (INPC Setembro) para os salários, para o piso salarial, auxílio-creche e auxílio-excepcional, além de 5,37% de reajuste para o OMO.

CONTRAPROPOSTA – A proposta foi rejeitada para garantir uma contraproposta com avanços no reajuste dos salários e de todos os auxílios, de 5,37%. Fim do Banco de Horas e que todas as horas extras efetuadas sejam pagas e multa no caso de não pagamento. Também o auxílio-creche e acompanhante sem o limitador de R$ 2.000,00. A reivindicação é que o auxílio creche/acompanhante seja assegurado para o trabalhador e a trabalhadora.

Os trabalhadores aprovaram a garantia da vigência do acordo coletivo até que um novo acordo seja celebrado. Também o fim do deslocamento dos feriados e a manutenção deles, nos dias em que efetivamente caírem. Além dos itens acima, a manutenção das demais questões do Acordo Coletivo e dos outros itens da proposta apresentada pela empresa.

REUNIÃO – O resultado das assembleias será apresentado à empresa em reunião agendada para quinta-feira, dia 7 de novembro.  A expectativa é que a partir do que foi decidido nas assembleias, a empresa venha com uma nova proposta que atenda as questões que foram destacadas acima.

Nas unidades da Arlanxeo no RJ e PE, foi apresentada proposta de 5,37% para o piso salarial, auxílio creche, excepcional, educação e OMO e acordo por dois anos.

 




DESENVOLVIMENTO BY
KOD