REUNIÃO COM A INNOVA

PUBLICADO:

No dia 23/08, tivemos uma reunião com a Innova para tratar de várias questões que vão desde negociação de PLR, até crônicos problemas de ASSÉDIO MORAL.

Na reunião tratamos ainda de pontos como: acidentes e emergências operacionais, que são “escondidas”, inclusive com ameaças no caso de divulgação (como o acidente ocorrido no dia 17 de agosto, quando um trabalhador da empresa ETM teve fratura no fêmur); imposição do banco de horas em contratos individuais, o que é inaceitável; SPIE/NR13, onde recentemente o profissional habilitado pediu demissão; entre outros.

Em relação a negociação de PLR, que a empresa vinha fazendo pressão para os representantes do Sindicato assinarem o Acordo, procuramos deixar claro para a Innova, que o debate é em torno da proposta de acordo, e não quanto a assinar ou não o documento.

Também destacamos que a participação do Sindicato nas negociações de PLR não objetiva apenas homologar o que a empresa quer. Neste caso, especificamente, foi apresentada uma proposta de assegurar a PLR também aos trabalhadores com afastamento previdenciário de seis meses. Este é um benefício importante para o trabalhador, que não tem qualquer impacto econômico para a empresa. Ninguém adoece ou se afasta do trabalho porque quer e, portanto, não pode ser penalizado no recebimento da PLR.

Manifestamos à empresa que, com o atendimento desta reivindicação, o Sindicato irá assinar o acordo de PLR. A empresa ficou de avaliar e dar um retorno. Quanto aos demais pontos da reunião, a posição da Innova foi de que os problemas já estão sendo tratados internamente.

HE TÊM QUE SER PAGA

No que se refere ao acordo para não pagamento de Horas Extras (Banco de Horas), nos acordos individuais, o Sindicato foi contundente de que esta imposição aos trabalhadores é inaceitável. Até porque, o Acordo Coletivo de Trabalho é muito claro no que se refere ao pagamento de Horas Extras.

Chamou atenção a posição da empresa de que este ponto está na nova legislação, como se a lei obrigasse as empresas a fazerem isso. O fato de constar na reforma trabalhista, não obriga as empresas a praticarem.

A expectativa dos trabalhadores, depois desta reunião com a empresa, é de que vários problemas crônicos na gestão da Innova, principalmente depois que foi comprada pela Videolar, sejam definitivamente equacionados.

É inaceitável a empresa fazer o que vem fazendo com seus trabalhadores, desde a imposição de acordos individuais para não pagamento de horas extras, até a adoção de uma gestão truculenta e autoritária. Esta gestão expõe os trabalhadores a acidentes, incêndios e explosões que são escamoteados, sob pena de, se porventura alguém informar das ocorrências, serem severamente penalizados.

 




DESENVOLVIMENTO BY
KOD