ENTRADA EM VIGOR DA REFORMA TRABALHISTA

PUBLICADO:

É MARCADA POR MANIFESTAÇÕES E PROTESTOS
Na sexta-feira (10), DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÕES, os trabalhadores re­alizaram, em todo o País, manifestações e protestos contra a Lei 13.467, da re­forma trabalhista, que entrou em vigor no sábado, dia 11 e também contra a re­forma da Previdência, as terceirizações irrestritas, o trabalho escravo, em defe­sa da Justiça do Trabalho e por nenhum direito a menos. Diversas categorias rea­lizaram atividades já nas primeiras horas da manhã.

No Polo Petroquímico foi realizado uma espécie de “pedágio”, na via de acesso, quando foi entregue aos tra­balhadores, material alertando para os ataques representados pela nova lei.

Mais tarde, ainda na manhã, foi re­alizada uma plenária pela CUT-RS, em Porto Alegre, onde foi distribuída uma cartilha com orientações aos sindicalis­tas sobre alguns pontos da reforma. No encontro houve deliberação de que em todos os dias 11 de cada vez serão feitas mobilizações para lembrar a população de quais são os deputados que votaram contra os trabalhadores.

Foi destacado que agora, frente a nova lei trabalhista e os ataques cada vez mais constantes à direitos sociais, ambientais e humanos, cada vez mais os sindicatos tem que ser fortalecidos com a participação maciça dos trabalhado­res e estará também entre suas tarefas, ir além das pautas classistas e defender outros direitos.

Também foi reforçada a necessidade e intensificação da campanha pela coleta de assinaturas para a apresentação de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela re­vogação da Lei da reforma trabalhista.

ATO E CAMINHADA

Na parte da tarde, foi realizada uma manifestação em frente ao pré­dio do TRT4, contra a ameaça que vem sendo proposta por Temer, de extinção da Justiça do Trabalho, e contra o seu enfraquecimento, conforme a nova lei trabalhista. Cerca de 10 mil pessoas participaram das atividades.




DESENVOLVIMENTO BY
KOD