> 1º de Maio Dia dos Trabalhadores (as) | Sindipolo

1º de Maio Dia dos Trabalhadores (as)

PUBLICADO:

1º DE MAIO 2021 – DIA DOS TRABALHADORES
RESPEITO À VIDA E EMPREGO DECENTE
No dia 1° de Maio, Dia Internacional das Trabalhadoras e dos Trabalhadores, a CUT e demais centrais sindicais (Força, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública) unidas realizaram mais uma atividade, desta vez em torno de pautas urgentes para a Classe Trabalhadora, como a defesa e o respeito à vida, auxílio emergencial digno (R$ 600,00) e emprego decente.
Este ano a data teve como tema eixo “1º de Maio pela Vida – Democracia, Emprego e Vacina para Todos”.
Pela segunda vez consecutiva, em função da pandemia, foram realizadas atividades virtuais e algumas presenciais, respeitando os protocolos contra a Covid-19.

DATA DE LUTO E DE LUTA
O 1º de maio deste ano, mais do que nunca, foi um dia de luto e de luta, frente aos mais de 400 mil mortos no Brasil e mais de 24 mil no RS, demonstrando a total falta de amparo e preparo dos governos Estadual e Federal para lidar com a pandemia. Desde o início desta crise sanitára, o governo Federal vem contrariando a ciência, indicando tratamentos reconhecidamente ineficientes, promovendo aglomerações e negligenciando a vacina.

SEMANA DOS TRABALHADORES
As atividades relacionadas ao Dia Internacional dos Trabalhadores iniciaram na segunda (26) e se estendem até o sábado (1° de MAIO). Diariamente foram debatidos temas e feitas denúncias sobre a tragédia vivida pela Classe Trabalhadora e por toda a sociedade brasileira, vítimas da pandemia descontrolada, da alta taxa de desemprego, da escalada da inflação e da falta de projeto do governo Federal em combater o coronavírus e criar programas efetivos de geração de emprego e renda, com desenvolvimento da indústria nacional.

ATIVIDADE NO RS
Neste 1º de Maio, no RS, ocorreram vários atos, um deles na Capital. A atividade foi realizada no Largo Glênio Peres, ao lado do Mercado Público de Porto Alegre. Na parte da tarde, teve o Drive Thru para coleta de doações de alimentos para as famílias dos trabalhadores desempregados. O ato foi transmitido pelo Facebook da Rede Soberania (@redesoberania Comunidade).

COMPARTILHAR ALIMENTOS
Ocorreram também várias coletas de alimentos, como o “Drive-Thru da Solidariedade” na Capital, além da doação de cestas básicas para famílias carentes na periferia.
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) chegou ao ato com vários caminhões, trazendo alimentos colhidos por assentados da Reforma Agrária, que foram doados para famílias carentes na periferia da Capital, como nos bairros Lomba do Pinheiro e Vila Cruzeiro. Com isso, o dia ficou também marcado com a chamada “vacina no braço e comida no prato”.
Foram mais de 50 toneladas de alimentos produzidos pelo MST distribuídos a esses companheiros que, infelizmente, estão passando fome. O agronegócio é o que mais tem ganhado nessa crise, mas não estão distribuindo nem um quilo de comida. A representação do MST no Ato reafirmou a solidariedade: “Neste dia estamos juntos nessa luta de solidariedade trazendo um pouco do que temos”.

111111111111